Notice (8): Undefined index: tagdescription [APP/View/Layouts/default.ctp, line 23]"> Notice (8): Undefined index: tagkeywords [APP/View/Layouts/default.ctp, line 24]"> Notice (8): Undefined index: tagauthor [APP/View/Layouts/default.ctp, line 25]">
NEWS

Pocket Picks e estratégias surpresa

#Artigos | 10/11/2016 13:24:24

Entra patch, sai patch, o meta recebe mudanças, mas o que é exatamente o meta?

A explicação exata para o meta é um tanto quanto complicada por existirem diversas camadas do mesmo, em uma primeira camada podemos falar das 3 rotas principais, topo, mid e bot, enquanto em um meta mais avançado, falamos dos campeões mais fortes.

Pode parecer estranho, mas o League of Legends não precisa ser jogado sempre da mesma forma, nem mesmo com os mesmos campeões, o que o meta faz nessa história toda é indicar uma tendência mais forte, no qual os times e jogadores se baseiam para encontrar uma estratégia forte e funcional.

Mas o meta envolve muito mais do que rotas ou campeões, o meta envolve também as composições de time, os caminhos de compra de itens, priorização de runas e até mesmo os talentos. Dessa forma, podemos dizer que o meta sugere uma dupla na rota de baixo, mas qualquer time poderia muito bem usar uma rota de baixo solo e uma dupla no meio.

Como podemos ver, o meta não é apenas isso ou aquilo, é uma série de conhecimentos sobre o jogo que envolvem sim quais campeões estão mais fortes, seja pelo seu poder isolado, pela forma de se jogar com ele, ou mesmo por um item que tenha boa sinergia com ele, ou uma composição que esteja com uma ligeira vantagem no momento.

Dessa forma, podemos finalmente falar dos Pocket picks, ou ainda, as escolhas escondidas, surpresas e estratégicas que podem ser feitas em um jogo.

O exemplo mais claro disso nos últimos tempos foi a escolha de Miss Fortune como suporte pela ROX Tigers. A SKT, o time que ganhou o mundial, não soube responder a essa escolha, fazendo com que ela tivesse de ser banida para que o jogo voltasse para a “zona de conforto” deles.

Claro que os motivos que fizeram que a Miss Fortune fosse escolhida, estão atrelados às condições gerais do jogo e de certa forma aos times que estavam jogando ali, mas essa escolha não foi feita a esmo, não foi feita em desespero, pelo contrário, foi algo feito com cuidado e certamente com o devido treino.

Podemos perceber então que o poder do Pocket Pick é grande, afinal, até mesmo os tricampeões mundiais sofreram nas mãos de uma escolha que se desviava fortemente do meta. Ou será que não?

Minha pergunta se faz acima por um motivo simples, a partir do momento em que Miss Fortune foi uma excelente escolha para ser usada como suporte contra uma composição com Zyra, não seria isso algo acrescentado a meta?

Sei que responder uma pergunta com outra pergunta não é a melhor forma, mas examinemos o seguinte: :League of Legends tem atualmente 133 campeões, embora no mundial apenas 130 deles estavam disponíveis, ainda assim estamos falando de 130 possibilidades de escolha.

Embora profissionais sejam pagos para estudar isso, certamente eles não testaram as 4.293.656.640.000 possibilidades de campeões em jogo (basta multiplicar 130 por 129, por 128 e assim ate 125) afinal, muitas delas não seriam interessantes, como 5 atiradores ou mesmo 5 tanques. Afinal, estamos falando de mais de 4 trilhões de possibilidades de combinações desses 130 campeões.

Por esse motivo as escolhas tendem a gravitar os mesmos astros principais de cada meta, e nesse momento, ao encontrar um grande desafio pela frente, surge a necessidade de se adaptar, de se moldar e encontrar estratégias que funcionem contra algo realmente forte.

Nem sempre se pode contar com os bans para retirar tudo que está visivelmente forte, por esse motivo, encontrar respostas fora do meta pode ser o diferencial necessário para uma grande vitória.

Provavelmente a ROX percebeu em algum momento que a Zyra seria um campeão priorizado, seja pelo meta, seja por treinos ou qualquer outra forma, o importante nisso é que ela procurou uma estratégia que pudesse ir contra esse pick que não fosse apenas retirá-la do jogo, nem mesmo utilizando campeões que seriam facilmente banidos para permitir essa estratégia.

Através da utilização de Miss Fortune, eles conseguiram essa façanha, demonstraram que uma escolha surpresa pode muito bem fazer até mesmo os deuses sangrarem, deram o aviso de que muito pode ser alcançado com ousadia e treinamento, que pensar fora da caixa precisa se tornar algo mais frequente.

Afinal, se com apenas um pick surpresa eles conseguiram tirar dois jogos da SKT, o que será que eles poderiam alcançar com dois ou mais?

É claro que mentes mais capacitadas para isso pode encontrar inúmeros pontos em minha argumentação para quebrá-la, demonstrar que o pick em si não foi o mais importante, ou mesmo que não há genialidade nisso, mas certamente a história que pode ser contada pelos resultados obtidos demonstra que em algo ela é plausível.

Os pocket picks podem ser uma resposta estratégica ideal para um cenário tão mutante quanto o League of Legends, especialmente quando feitos de forma pensada, com clareza e objetividade, demonstrando que o meta é uma base sólida, mas que existe muito mais além dele e, que nesse além, pode estar o segredo da vitória.

Por: Gabriel "Arddhu" Gastaldo

Publicidade

Leia também

O que esperar do All-Star 2016?

17/11/2016 15:20:45

Eramos Seis

08/12/2016 15:52:55

Publicidade
Youtube
Instagram
  • Carregando...
Publicidade