Notice (8): Undefined index: tagdescription [APP/View/Layouts/default.ctp, line 23]"> Notice (8): Undefined index: tagkeywords [APP/View/Layouts/default.ctp, line 24]"> Notice (8): Undefined index: tagauthor [APP/View/Layouts/default.ctp, line 25]">
NEWS

Eramos Seis

#Artigos | 08/12/2016 15:52:55

A história protagonizada pela INTZ em terras brasileiras começou com um toque de distopia em uma lineup terrivelmente desacreditada, mas finalizou como um épico com os 6 integrantes invictos.

Sim, eram seis, Yang no Top, Revolta na Jungle, Tockers no Mid, Micao como ADC e Jockster como suporte. Você contou bem e falei de apenas cinco, pois o sexto membro desse time foi Abaxial, o treinador da primeira equipe a conseguir permanecer invicta em séries na nossa região.

Foi uma bela historia com seus altos e baixos, idas e vindas em uma busca constante pela excelência, idas para o exterior e a representação do Brasil em terras longínquas, mesmo não sendo essas as esperadas pelos seus fãs e até mesmo pelos fã de outros times que deixavam de lado o clubismo quando a INTZ representava o Brasil lá fora.

Mas o fim dessa história chegou, alcançando conquistas importantes para cada um desses membros, para o time e ate mesmo para nossa nação nesse crescente mundo do esporte eletrônico. O fim chegou com a separação desse time.

Primeiro foi Abaxial que saiu do time, o treinador que liderou esses outros cinco rapazes por essas jornadas treinando-os e certamente fazendo um dos melhores trabalhos já feitos no Brasil.

Em seguida a saída  de Yang e Revolta parecia prenúncio de uma ruptura, por serem considerados os jogadores mais fortes do time e provavelmente os mais populares também.

Por fim Tockers também deu seu tchau à INTZ e com apenas Micão e Jockster, a pergunta sobre quem seria o novo time se tornou presente, com muitos palpites e algumas pistas deixadas em um campeonato.

O anúncio do novo treinador só não foi mais impactante que o anúncio da lineup completa, dividindo opiniões e tocando em algumas feridas do cenário. Seja por trazer jogadores já conhecidos ou por simplesmente trazer jogadores considerados bem abaixo de seus predecessores.

Mas ora, a INTZ também começou sua história épica com jogadores desacreditados, bem antes de se tornar o time a ser batido a cada novo split, as mesmas opiniões cruéis também podiam ser encontradas aqui e ali.

Por isso aguardar o início do split de 2017 é mais do que necessário antes de emitir uma opinião definitiva sobre o time. Goste ou não da organização, ela tem sua responsabilidade no sucesso do time e talvez a receita esteja nas mãos deles.

Ainda assim, nada disso é possível precisar por enquanto, afinal, eles eram seis e agora são em mais de dez, veremos o que o futuro aguarda para aqueles com o pé no espaço, em uma busca intrépida por mais uma vez realizar grandes feitos.

Por: Gabriel "Arddhu" Gastaldo

Foto: Riot Games

Publicidade

Leia também

Resumo do CBLOL 2017: Semana 6

06/03/2017 20:21:24

OPK de cara nova

04/11/2016 19:18:36

Publicidade
Youtube
Instagram
  • Carregando...
Publicidade