Notice (8): Undefined index: tagdescription [APP/View/Layouts/default.ctp, line 23]"> Notice (8): Undefined index: tagkeywords [APP/View/Layouts/default.ctp, line 24]"> Notice (8): Undefined index: tagauthor [APP/View/Layouts/default.ctp, line 25]">
PLNEWS Seu Link com o e-Sport
Foto: (Divulgação)

Entrevista com Gevous - Técnico da Red Canids

#Artigos | 22/01/2017 12:04:48

Quantas vezes vocês já não leram ou ouviram a seguinte afirmação “O cenário Brasileiro carece de bons treinadores”? Eu mesmo já perdi a conta, é uma questão constante no nosso cenário de que não há a formação de novos Treinadores e na capacitação dos mesmos.

Para isso, a RED Canids encontrou uma possível solução, abaixo, entrevisto Gevous, o treinador da matilha que teve passagem por times como Na’Vi e a SK Gaming!


Olá Fayan, obrigado por ceder um pouco de seu tempo respondendo a essa entrevista, minha primeira pergunta para você é: O que você espera da competitividade do Brasil, da habilidade dos jogadores?

Muito obrigado! É um prazer responder às suas perguntas e deixar minhas impressões. Eu espero bastante competitividade entre as equipes do topo do Brasil. Pelo que eu eu entendi, há uma lacuna entre as equipes  (consideradas) melhores e as equipes de baixo da tabela. O que acredito que acontecerá é uma disputa bem ferrenha pelas duas ou três primeiras colocações nesse primeiro split do CBLOL. Mas naturalmente terei de esperar e ver como as coisas se desenvolvem. A equipe que compreender completamente o novo sistema de pick e bans terá uma grande vantagem no início desse split. Quanto às habilidades dos jogadores no Brasil, a maior parte são diamantes brutos. Eles possuem as mecânicas básicas mas ainda não as  masterizaram ao seu potencial máximo. Claro que há talento, mas o trabalho duro é necessário para que o jogador se torna competitivo internacionalmente.

 

Diga a nós brasileiros um pouco sobre o Fayan, quem é você?

Olá, eu sou o Fayan, tenho 22 anos e também sou conhecido por Gevous, ensino jovens adultos a jogar jogos eletrônicos em um nível de alta competição. Já treinei equipes como Na’Vi e a SK Gaming. Meu último time foi a Supermassive eSports, da Turquia, na qual fui Treinador. Antes de entrar para os esportes eletrônicos, eu era um músico freelancer. Talvez você tenha visto em algum Snapchat do brTT ou da RED eu tocando um pouco de guitarra.

Meu estilo como treinador é muito inspirado no Phil Jackson (técnico da NBA) e em todas as coisas que aprendi como jogador de futebol. Eu joguei em altas divisões de futebol quando criança.

 

Você acredita que a linguagem possa ser um problema?

Originalmente eu acreditava que não seria tanto, já que todos os jogadores falam bem em Inglês. Mas eu subestimei as complicações que poderiam vir. Durante as scrims um jogador pode vir a obter uma informação vital sobre o andamento do time apenas ouvindo a comunicação. Afortunadamente, temos uma equipe de 7 jogadores. Assim, os dois jogadores que não jogam em uma série, tem a tarefa de serem meus ouvidos. Todos tem uma função na equipe, mesmo em momentos em que não estejam jogando. Espero eventualmente obter um conhecimento básico de Português para conseguir melhorar e monitorar melhor a comunicação da equipe.

 

Qual é a sua visão geral do cenário profissional Brasileiro?

Minha resposta a essa pergunta é um pouco tendenciosa. Estou aqui apenas há uma semana e sei como as coisas são feitas apenas na RED Canids. Logo, minha experiência é boa e espero aos poucos obter mais recursos para treinar os jogadores de maneira mais efetiva. A RED Canids cuida bem de nós e a equipe esta amando o ambiente. Todos querem competir para serem os melhores. Gostaria de responder a essa pergunta novamente depois de trabalhar aqui por um tempo. Assim poderei dar a você impressões melhores sobre o cenário como um todo.

 

Existe algo que você tenha sentido falta no cenário Brasileiro no geral e que você acredita que pode trazer consigo?

A primeira coisa que penso é a estrutura. O eSport ainda é jovem e muitas pessoas ainda são novas quanto ao conceito de games serem uma carreira profissional e um esporte. Eu ainda tenho muito a aprender e muitas vezes quebrei a cabeça pensando nas estruturas de treinamento. A maior parte dos estilos de treinamento que vi são baseados em resultados rápidos, mas se desfazem quando a temporada se estica um pouco. No entanto eu não diria que isso é específico dessa região. Sei que na Europa essa estrutura ainda está crescendo, passo a passo. Quanto ao Brasil, assim como na resposta anterior, ainda preciso de mais tempo para poder dizer.

 

Mais uma vez, muito obrigado pelo seu tempo, aproveite esse espaço para enviar uma mensagem para os fãs da RED e todos que estão ansiosos para vê-los em ação.

Muito obrigado a todos por nos apoiar! Sequer começamos e muito carinho já é enviado para nós. Esperamos deixá-los orgulhosos. Trabalharemos para nos tornar os melhores do Brasil, então esperamos mostrar nossa melhor forma nos Playoffs e competir internacionalmente! #GoRED

 

Deixe seus links de mídias sociais para contato dos fãs.

Sou mais ativo em meu twitter, mas devo trabalhar também nas outras páginas.

Twitter

Facebook

YouTube

 

Por: Gabriel "Arddhu" Gastaldo

Publicidade

Leia também

OPK de cara nova

04/11/2016 19:18:36

A “nova” selva

25/11/2016 17:35:37

Publicidade
Youtube
Instagram
  • Carregando...
Publicidade